A loja híbrida


Os especialistas norte-americanos adoram usar termos e abreviaturas no varejo, omnichannel, UX, CX, C&C, IoT entre outros.  O termo queridinho da vez é shopstreaming, que foi tema da palestra de Gregg Renfew, da Beautycounter, David Sandstrom, CMO da Klarna e Munira Rahemtulla, diretora da Amazon live, no SXSW; aliás, o festival este ano foi todo no formato live.

O shopstreaming consiste em criar um espaço virtual para venda, pode ser um show ou uma sala de bate-papo com algum influenciador da área. Outra possibilidade é a criação de uma loja “ao vivo” em que os participantes se comunicam através de alguma plataforma e as dúvidas são respondidas ao vivo. 


Uma das pioneiras neste formato no Brasil foi a Dengo, marca de chocolates premiada na mais recente edição do Brasil Design Award, onde um vendedor atende os clientes via WhatsApp ao vivo e a cores, no melhor estilo BBB.

Eu, morrendo de curiosidade, entrei no jogo e perguntei: “Gostaria de comprar um chocolate, como faço?”, e obviamente antes temos que colocar o nome e a cidade de onde estamos chamando. Bingo, lead coletado. A resposta ao vivo foi: “Olha que legal, recebemos o contato do Átila de Porto Alegre. Infelizmente ainda não atendemos sua cidade mas em breve estaremos aí”.


O objetivo é criar empatia no ambiente digital, agilizar o processo de compra e evitar a síndrome do carrinho abandonado. 


Em 2020 a CDA teve sua primeira experiência em shopstreaming. A Mahindra, marca que mais vende tratores no mundo e líder de mercado nos EUA e na Índia, fez o lançamento do seu modelo de trator com a mais avançada tecnologia embarcada, o 86-110 Premium, em uma live.

Voltando ao SXSW, fica claro que este formato ainda irá crescer muito, mesmo quando não estivermos mais dentro desta pandemia. Segundo Munira Rahemtulla, o varejo dos próximos anos será híbrido, físico e virtual se complementando durante toda a jornada de compra.


Isso já vinha acontecendo normalmente, mas a pandemia acelerou o processo de digitalização do varejo até para setores mais conservadores. A loja híbrida será a grande aliada das vendas nos próximos anos, e a jornada, antes fragmentada, agora unificada em uma única experiência de marca e de compra.


E você, já experimentou?


............................................................................................................................................................................

ÁTILA FRANCO


Arquiteto graduado pela UFRGS e pós graduado em arquitetura comercial e gestão empresarial.

Fundador da CDA Design, é o responsável por projetos de transformação de espaços de PDV para grandes clientes, como Nike, Fiat, Grupo Pão de Açúcar, TIM, Ferreira Costa, Motorola e C&A.

Profissional premiado no Popai Brasil, Prêmio Bornancini e Brasil Design Awards, com 30 anos de atuação dedicados a desenvolver estratégias para experiências de marca e consumo.




Leia também
Categorias
Procurar por tags